Há uma infinidade de sabotadores da dieta e essa questão é sempre pessoal e depende muito da vida de cada pessoa. No entanto, pode-se dizer que o sabotador número 1 é o comer para fugir da realidade. Comer para não ter que entrar em contato com seu próprio sofrimento. Comer para engolir situações, pessoas e palavras que não verbalizam. Comer para preencher algum vazio, alguma lacuna que existe em sua vida.

      Além da questão da alimentação, 99% das pessoas obesas costumam também ser ansiosas, o que não ajuda nem um pouco. Essa ansiedade favorece o descontrole diante da comida. Uma pessoa ansiosa costuma ter uma preocupação excessiva com o futuro, preocupação essa que acaba a impedindo de viver o momento presente.

      O que há em comum em todas essas situações é a dificuldade que as pessoas têm de encarar a sua vida de frente e de fazer as mudanças necessárias para viver melhor. Preferem ficar na zona de conforto, preenchendo de forma imediata os seus vazios emocionais com comida e continuam “empurrando o problema com a barriga”.

      Para que uma pessoa consiga descobrir os próprios sabotadores, ela precisa se questionar no sentido de identificar o que ela está ganhando por estar acima do peso? Geralmente aparecerão sabotadores vinculados à sensação de prazer tais como: consumo de alimentos calóricos, horas a mais de sono por não acordar cedo para fazer atividades físicas, entre outros.

      Uma outra pergunta a se fazer é o que ela perde durante o processo de emagrecimento? Nesse momento irão aparecer os sabotadores vinculados à dor, tais como: parar de fazer as orgias gastronômicas no final de semana, usar uma hora do seu dia para ir à academia e ficar longe da família, resistir aos prazeres dos alimentos doces e gordurosos, enfim, a lista é longa.

      Nosso cérebro está habituado a ter prazer e não a ter privações. Por isso, acabamos buscando pelo prazer e evitando todo e qualquer sacrifício, por isso, é importante a identificação dos sabotadores para que se possa negociar com eles.

      Entendendo os valores de cada pessoa, ou seja, aquilo que é realmente importante para ela, é possível manter o prazer em sua vida desde que seja de uma forma controlada. Por exemplo, uma pessoa que passa o final de semana inteiro comendo bobagens, se esse era o hábito que ela tinha antes, qual hábito que ela poderá adotar daqui para frente que irá atender à sua necessidade de comer algum alimento que esteja fora da programação, mas que não irá prejudicar o seu processo de emagrecimento? Ela pode por exemplo escolher uma refeição do final de semana ou escolher um determinado alimento, enfim, algo que não seja nocivo ao seu emagrecimento.

      Essa negociação permite com que a pessoa não radicalize na hora de emagrecer e com isso possa se manter focada e com um sentimento menor de privação. Essas pequenas mudanças trazem um grande resultado para a vida da pessoa que busca pelo emagrecimento. Aquele que se sente mais sob controle em se tratando do assunto comida, consegue gerenciar melhor a sua vida, diminuir a ansiedade e identificar o que está perdendo por estar fora do peso. Começa a ter clareza do que pode de fato ganhar ao emagrecer de vez e com isso se mantém motivado nessa trajetória mesmo sabendo que os obstáculos sempre irão aparecer.

Facebook Comments